Resina Impressora 3D

As principais dúvidas sobre impressão 3D na odontologia

Se gostou, compartilhe

O que é e como surgiu a impressão 3D?

A impressão tridimensional (3D) é também conhecida como manufatura aditiva ou prototipagem.1 Ela permite confeccionar objetos dos mais variados tipos e tamanhos, baseado usualmente em um sistema de sobreposição de camadas.2,3

A impressão 3D foi desenvolvida na década de 80 por Charles Hull, e durante muito tempo era considerada cara, futurista e com aplicações limitadas. Em 2009 a patente da tecnologia de impressão por Modelagem por Fusão e Deposição (FDM) expirou, impulsionando o desenvolvimento na área nos últimos anos em diversos setores, inclusivo no setor odontológico.4

As variadas formas de obter uma Impressão 3D

Desde o surgimento, na década de 80, uma série de tecnologias para impressão tridimensional foram surgindo. Algumas foram desenvolvidas para usos específicos e prometem desempenhar um papel importante na área da saúde. Entre elas, estão as técnicas de fotopolimerização por estereolitografia (SLA); processamento de luz direto ou digital (DLP) e por direcionamento contínuo de luz (DLP); através do pó com laser seletivo (SLS); laser sintético para metal (DMLS); laser seletivo por fusão (SLM) e fusão por feixe de elétrons (EBM); por jato de tinta com modelagem multijet (MJM); de extrusão com deposição fundida (FMD), entre outros.2 Algumas imprimem apenas materiais poliméricos, outras também podem ser utilizadas na impressão de metais e cerâmicas, e até mesmo materiais biológicos como scaffolds e células em algumas impressoras mais sofisticadas.2,5,6

A Impressão 3D alcança a odontologia

A primeira aplicação da impressão 3D em odontologia foi a para o desenvolvimento de moldes de cera utilizando a estereolitografia a laser (SLA).2 Com a evolução do processo de escaneamento intraoral e a maior acessibilidade a impressoras tridimensinais, as aplicações da impressão 3D foram se expandindo na odontologia. A maior velocidade para a impressão, a alta resolução e riqueza de detalhes, bem como o melhor acabamento da superfície associado a diminuição do custo das impressoras fez com que a tecnologia de impressão 3D crescesse exponencialmente na área odontológica. Hoje elas podem ser utilizadas para: criação de modelos odontológicos (Figura 1), de modelos cirúrgicos para o planejamento pré-operatório, de modelos calcináveis que poderão ir direto a fundição, de guias cirúrgicos, entre outras aplicações que devem se expandir cada vez mais nos próximos anos.2,5,6

Figura 1.Exemplo de impressão 3D de modelo odontológico utilizando a resina Cosmos Grey na cor cinza, uma das preferidas pelos dentistas. Imagem: Prof. Dr. Gregori Boeira.

Tecnologia de processamento digital da luz (DLP) e de estereolitografia a laser (SLA)

Duas das tecnologias mais utilizadas para impressão em odontologia são a DLP e SLA.2,6 Ambos os métodos utilizam a luz para solidificar uma resina fotopolimerizável.2,3,6 Para facilitar a compreensão vamos simplificar a explicação de como funciona cada uma!

Na tecnologia de processamento digital da luz (DLP) as impressoras projetam a camada a ser impressa numa única imagem que leva a polimerização da resina armazenada na cuba. As impressoras da Wanhao, KLD e Envisiontec são algumas que utilizam a tecnologia DLP. Enquanto isso, na tecnologia de estereolitografia a laser (SLA), o laser da impressora alcança a resina que fica armazenada na cuba, levando a polimerização do material.2,3,6 As impressoras da FormLabs que alguns dentistas possuem utilizam a tecnologia SLA.

Como explicado anteriormente, nas impressoras 3D com tecnologia DLP um projetor digital envia uma imagem de cada camada através da área de impressão. Como a projeção é feita através de uma tela digital, suas imagens são formadas por pixels quadriculados, o que resulta em uma camada formada por pequenos blocos retangulares comumente chamados de “voxels”. Já as impressoras com tecnologia SLA utilizam dois motores chamados galvanômetros (uma para o eixo X e um para o eixo Y), que varrem rapidamente a área de impressão e solidificam a resina por onde passam. Este processo divide o objeto, camada por camada, e uma séria de pontos e linhas são enviados ao galvanômetro como coordenadas. 2,3  De maneira geral, o processo de ambos os métodos envolve a fotopolimerização da resina camada a camada até formar o modelo desejado, o que muda é o modo como a resina é fotopolimerizada: pela projeção da imagem (na DLP) ou pelo laser (na SLA).

A Yller antecipando o futuro da odontologia…

A Yller mais uma vez chegou na frente, e é a primeira indústria odontológica brasileira a fabricar resinas para Impressoras 3D. A Linha Cosmos engloba uma série de resinas que podem ser utilizadas pelas principais impressoras 3D utilizadas pelos dentistas: as impressoras com tecnologia DLP ou SLA.

Figura 2. Exemplo de impressão 3D de modelo odontológico utilizando a resina Cosmos Clear. Imagem: Prof. Dr. Gregori Boeira.

As resinas da Linha Cosmos foram desenvolvidas para apresentar a excelência em impressão que os dentistas almejam. Elas apresentam excelente qualidade de impressão, primordial para obtenção de modelos odontológicos, e é possível obter o máximo em riqueza de detalhes. Além disso, as resinas da Yller são livres de acrilatos, o que faz com que possuam uma menor toxicidade e um menor odor que as disponíveis atualmente no mercado. Elas ainda apresentam baixa viscosidade, o que facilita a limpeza do equipamento, e são resinas com alta velocidade de polimerização. Por causa disso, apresentam as mais variadas indicações, e podem ser utilizadas para modelos odontológicos, vulcanizações, modelos calcináveis, prototipagem geral, entre outros.

A Linha Cosmos apresenta seis tipos diferentes de resinas. As resinas Cosmos Black (Figura 2), Cosmos Grey e Cosmos White apresentam respectivamente as cores preta, cinza e branca e podem ser utilizadas para prototipagem, modelos odontológicos, vulcanizações. Já a Cosmos Dental Model é altamente estética e com a cor semelhante a do gesso odontológico, o que lhe permite um trabalho com alta precisão. Enquanto isso, a resina Cosmos Clear é a única translúcida da linha, e Cosmos Castable foi projetada para uso com modelos calcináveis, que poderão ir diretamente à fundição. Toda as resinas da Linha Cosmos apresentam versões para impressoras que utilizam tanto a tecnologia DLP quanto SLA. É a Yller antecipando o futuro da odontologia!

Referências

  1. Crafts TD, Ellsperman SE, Wannemuehler TJ, Bellicchi TD, Shipchandler TZ, Mantravadi A V. Three-Dimensional Printing and Its Applications in Otorhinolaryngology–Head and Neck Surgery. Otolaryngology – Head and Neck Surgery (United States). 2017.
  2. Chung KH, Liao JH, Duh JG, Chan DCN, Al Mansour F, Karpukhina N, et al. Rapid Prototyping and its Application in Dentistry. Dent Mater. 2014;
  3. Madhav VN V, Daule R. Rapid Prototyping and its Application in Dentistry. J Dent Allied Sci. 2013;
  4. Mulford JS, Babazadeh S, Mackay N. Three-dimensional printing in orthopaedic surgery: review of current and future applications. ANZ journal of surgery. 2016.
  5. Obregon F, Vaquette C, Ivanovski S, Hutmacher DW, Bertassoni LE. Three-Dimensional Bioprinting for Regenerative Dentistry and Craniofacial Tissue Engineering. J Dent Res. 2015;
  6. Martelli N, Serrano C, Van Den Brink H, Pineau J, Prognon P, Borget I, et al. Advantages and disadvantages of 3-dimensional printing in surgery: A systematic review. Surgery (United States). 2016.

Fonte: http://www.yller.com.br/blog/as-principais-duvidas-sobre-impressao-3d-na-odontologia/


Se gostou, compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat
0

Your Cart